Dormir pouco: 7 Problemas ligados a noites mal dormidas

Não é segredo para ninguém que a forma como você se sente nas horas em que está acordado é resultado da forma como você passou a noite. Se descansou bem, tem energia para enfrentar o dia com um sorriso na cara, se dormiu mal ou poucas horas você fica em baixo sem vontade para fazer nada.

A falta de sono pode causar danos ao seu corpo a curto prazo. No entanto, a longo prazo as consequências de noites mal dormidas são muito mais preocupantes e podem levar a problemas crônicos de saúde e impor repercussões negativas na sua qualidade de vida.

noites-mal-dormidas

Dormir pouco (menos de 5 a 7 horas por dia) tem sido associado a problemas como:

1 # Perturbações da memória e problemas psiquiátricos

Todas as pessoas gostam de ter uma boa memória para lembrar de coisas que mais ninguém lembra e até para aumentar e reter conhecimento sobre vários temas. Segundo os especialistas em neurologia o sono é muito importante porque é nessa fase que ocorre um evento responsável pela consolidação da memória. Segundo uns pesquisadores americanos e franceses é durante o sono profundo que a as novas experiências que nós aprendemos são guardadas a longo prazo.

É por essa razão que as pessoas que dormem pouco não conseguem reter facilmente nova informação e têm dificuldade para lembrar de coisas básicas, como por exemplo, o que comeram ontem. A falta de sono também pode contribuir para a “deterioração do cérebro”, segundo revelou um estudo, o que pode explicar a perda de memória nos idosos e o aumento do risco de problemas mentais.

2 # Dificuldade em emagrecer e problemas de obesidade

Segundo a Escola Pública de Saúde de Harvard, nos Estados Unidos, existem cada vez mais estudos sugerindo que existe uma forte ligação entre o número de horas dormidas com o peso de uma pessoa. Em geral, crianças e adultos que dormem muito pouco tendem a pesar mais do que aqueles que dormem um número de horas adequado. A falta de sono perturba o equilíbrio dos hormônios que controlam o apetite, nomeadamente a leptina, que ajuda a controlar a sensação de saciedade e a grelina que estimula a sensação de fome. Por essa razão, pessoas que dormem menos parecem ter mais fome e desejos de comer alimentos ricos em gordura e carboidratos.

3 # Envelhecimento precoce da pele e outros órgãos

Um estudo realizado nos Estados Unidos revelou que a pele das mulheres que dormiam poucas horas mostrava sinais acelerados de envelhecimento e recuperava mais lentamente de danos relacionados com a exposição solar. Quem não fica pálido, com a pele estragada e olheiras depois de uma noite mal dormida?

Quando não se dorme um número adequado de horas, o nosso corpo liberta mais cortisol, uma hormona do estress que em quantidades excessivas pode destruir as fibras de colágeno responsáveis pela elasticidade da pele. A falta de sono também contribui para a redução da hormona do crescimento, muito útil para promover o crescimento quando somos novos e contribui para o aumento da massa muscular, força da pele e fortalecimento dos ossos quando envelhecemos. Por alguma razão foi criada a expressão “Meu sono de beleza”.

4 # Enfraquecimento do Sistema imunológico

É verdade, a falta de sono pode afetar o seu sistema imunológico e aumentar as chances de ficar doente depois de estar exposto a vírus como um resfriado comum; pode também afetar a rapidez de recuperação. Segundo a MayoClinic, durante o sono, o seu sistema imunológico liberta umas proteínas conhecidas por citocinas. Algumas citocinas são muito importantes para proteger o corpo de uma infecção. As células e anticorpos, especialmente os leucócitos – responsáveis por combater corpos estranhos no nosso organismo – também são produzidos em menor número quando se dorme menos.

5 # Maior Risco de Diabetes e Maior resistência à insulina

Segundo um estudo publicado na revista Diabetes, em 2011, investigadores da Universidade de Chicago e da Northwestern University descobriram que quando as pessoas com diabetes do tipo 2 dormiam mal à noite, elas tinham 43% maior resistência à insulina. No caso dos diabéticos do tipo 1 os resultados foram ainda piores, o seu nível de resistência à insulina era 82% mais elevado do que os diabéticos que tinham um sono com qualidade.

Outro artigo, feito pela Associação Americana de Diabetes faz uma associação entre a falta de sono e o aumento de açúcar no sangue e consequentemente maior risco de desenvolver diabetes do tipo 2.

6 # Problemas cardiovasculares e pressão arterial elevada

Os distúrbios do sono e perda de sono crônica podem aumentar o risco de desenvolver várias doenças do coração, AVC, formação de coágulos sanguíneos, aumento da pressão arterial, entre outros problemas sérios.

7 # Depressão, Diminuição do desejo sexual e Humor

É verdade que existe uma relação entre estados depressivos e alterações sexuais, especialmente a falta de apetite sexual que as pessoas depressivas apresentam, no entanto, a falta de descanso adequado pode estar a contribuir para acentuar tanto a depressão como o desejo sexual e a sua boa disposição.

Especialistas do sono dizem que os homens e mulheres privados do sono apresentam libidos mais baixas e menos interesse no sexo. Dormir pouco esgota toda a sua energia e aumenta a tensão e estress o que pode conduzir a um menor interesse sexual pelo parceiro.

Com o passar do tempo, os distúrbios do sono e não dormir o suficiente podem contribuir para os sintomas da depressão – especialmente a insónia que está fortemente ligada à depressão. Não recuperar o cérebro através do sono também leva à baixa produção de serotonina, um dos hormônios do prazer e bem-estar. Acho que se torna claro o ciclo existente entre dormir pouco, o mau humor, depressão e falta de desejo sexual.

Descanse o suficiente!

É importante dormir pelo menos 7 horas por dia. Não ignore os problemas associados ao descanso inadequado. Estudos mostram que com o passar do tempo as pessoas que dormem 6 ou menos horas por dia começam a se adaptar à privação do sono e acham que não sofrem os efeitos das noites mal dormidas, que eles são diferentes e não precisam de dormir.

Essas pessoas podem se habituar a dormir pouco, no entanto, se fossem feitos testes de produtividade a essas pessoas eles iriam mostrar o impacto dessas noites mal dormidas.

Veja aqui as nossas dicas para combater a insônia e descansar melhor.